Apelo às armas

Submetido por SMP em 4 Abril, 2006 - 01:07

Há uns tempos que venho pensando na gritante falta, no nosso país, de uma organização deste género. Qualquer coisa que, longe de constituir apenas o playground de meia dúzia de anarquias pessoais e diletantes, representasse um esforço sério de colocar as novas e cruciais questões em termos rigorosos, técnicos, quando fosse preciso. Que arregimentasse (a palavra não tem de ser feia) engenheiros, juristas, estudantes, ou simplesmente cidadãos. Que não almejasse mudar o mundo, mas patrocinasse, pelo menos, o exercício do direito de defesa a essa arguida dos tempos modernos que se chama liberdade. A falta de tempo, de t€mpo, e o receio de ver gorar mais uma vez um esforço para intervir politicamente (lato sensu...) foi-me levando a adiar o projecto e a necessária escritura pública. Mas não completamente: os estatutos dessa associação futura já estão esboçados e uma despretensiosa declaração de princípios também vai tomando forma na minha cabeça. Sem que possam assumir forma definitiva na ausência dos futuros colegas de causa.
Portugal é o velho país de brandos costumes, pensava eu; sem tendências securitárias, sem um lugar que se visse na economia mundial, o apelo às armas tardaria a chegar. Mas as últimas notícias têm-me feito ver que talvez não haja assim tanto tempo para deixar maturar as ideias. Os ataques estatais à privacidade do indivíduo, os abusos do sistema de direito intelectual, a conjunção de interesses económicos e do poder político na criação de uma rede de vigilância cada vez mais eficaz estão, afinal, na soleira da porta. Antes que a causa esteja perdida, portanto (e por muito respeito que eu tenha às causas perdidas!), gostava de convidar todos aqueles que, sem qualquer espécie de compromisso, gostassem de participar na criação de uma associação com os fins descritos a transmitir-me essa vontade deixando um comentário e os contactos neste post ou enviando uma mensagem para sandramartinspinto@gmail.com .

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configurações" para activar as suas alterações.
Submetido por jobezone (não verificado) em 4 Abril, 2006 - 20:41

Vi o teu texto no gildot, e subscrevo a tua ideia, e conta comigo para participar na criação dessa associação. Está à vontade para me incluir nos e-mails presentes e futuros sobre esta questão.

Submetido por Specimen (não verificado) em 4 Abril, 2006 - 20:46

Tal como escrevi no gildot, transcrevo aqui a minha posição, deixando o meu e-mail e a minha vontade:

Eu apoio uma organização deste género, não só no domínio do digital, porque como muitos, sinto as minhas liberdades a serem pouco a pouco devoradas, aqui e ali, por uma tecnocracia acéfala da letra da lei, por moralidades subjectivas que não devem fazer parte da política, por um politicamente correcto que escamoteia problemas e ilude soluções ou por um neo-puritanismo castrador da creatividade. Que, presumindo o estado como uma pessoa de bem, perfeita, dá o primeiro passo no caminho de qualquer fundamentalismo político que só favorece uma minoria em detrimento de todos os outros, nós.
A fraqueza das nossas sociedades é a atomização do indíviduo que desligado de grupos, desinteressado da política é uma alvo fácil a ver a sua liberdade e privacidade serem suprimidas progressivamente. Começa-se a instalar a ideia puritana americana (para não dizer a lavagem ao cérebro), de quem não tem nada a esconder não tem de se preocupar, uma ideia perigosa que presume que empresas e estados são indíviduos de bem do qual não podemos esperar nada de mal.

Submetido por Luís Brás aka Luder (não verificado) em 4 Abril, 2006 - 21:40

Mais um do Gildot.

Tenho vindo a acompanhar com preocupação a perda de direitos que se vive nos EUA e ainda mais preocupado fico quando começo a ver coisas parecidas a acontecer aqui em Portugal.

Depois de ver como o país recebeu o Bill Gates, já quase que estou a ver o cidadão comum a engolir tudo com um sorriso na cara. É preciso alguém que se manifeste de forma organizada e informe e defenda as pessoas.

Não devo ser grande ajuda, mas estou disposto a colaborar no que puder.

Submetido por Anónimo (não verificado) em 5 Abril, 2006 - 13:52

Boa iniciativa.

Submetido por André (não verificado) em 5 Abril, 2006 - 16:52

A ideia é interessante, mas fica uma dúvida:

A EFF mantém-se e sobrevive à custa de doações de privados. O sistema de doações funciona bastante bem nos USA, mas em Portugal praticamente não existe. Não que não existam pessoas dispostas a ajudar financeiramente, mas não existe o hábito donatório que existe do outro lado do atlantico e que permite a existencia e sobrevivencia de tantas associações non-profit.

Tendo em conta que os processos judiciais são bastante custosos, como pensas resolver este problema (se é que o consideras problema)?

Uma abraço

André

Submetido por SMP em 5 Abril, 2006 - 17:02

É uma pergunta mais que pertinente, para a qual, se queres que te seja muito franca, ainda não tenho resposta. Por um lado, pode ser que os concretos tipos de causa patrocinados estimulem um pouco mais o hábito donatório, como lhe chamas, por parte dos portugueses. Por outro, muito lá para diante, gostaria de montar um núcleo de serviços técnicos aos quais os particulares pudessem normalmente recorrer como recorrem a uma empresa de consultadoria (nas várias áreas implicadas). Assim assegurar-se-ia a um tempo uma certa especialização e intervenção na sociedade, e por outro alguma receita. Por exemplo, pode suceder que alguns dos processos judiciais em causa envolvam entidades que possam custear o apoio jurídico mas vejam vantagem em recorrer aos serviços de uma associação especializada, mais que não seja por simpatia com a causa. Claro que isto é limitado de duas formas: por um lado, a intenção nunca será o lucro, por imposição legal; por outro, mesmo quando os processos em causa envolvam entidades ou indivíduos que não possam custear o apoio jurídico, faz sentido que ainda aí a associação os represente, na medida das suas possibilidades. Não penso que valha a pena ter muita pressa, porque o caminho se vai fazendo ao caminhar, como dizia o poeta... um abraço e obrigado pela visita.

Submetido por Tiago Rodrigues (não verificado) em 5 Abril, 2006 - 19:11

Outro através do Gildot.

Por incrível que pareça, há dias atrás discutia com alguns conhecidos a possível criação de uma associação deste género. Agora que vejo que há vontade e que há alguem (mais ligado à lei) capaz de fazer algo, apenas me resta dizer que sou mais um que quer ajudar. Não sei exactamente aquilo que posso fazer, mas fica aqui o meu contacto, e vou ficar atento.

Submetido por Nuno (não verificado) em 5 Abril, 2006 - 19:19

Apoio e subscrevo desde já esta iniciativa.
Já mandei um e-mail para o endereço da Sandra, a fim de saber mais informações.
Penso que este assunto poderá ter desenvolvimentos francamente positivos.
Nuno

Submetido por SMP em 5 Abril, 2006 - 19:35

Bem vindos :)!

Submetido por Bruno (não verificado) em 5 Abril, 2006 - 22:36

Apoio a tua ideia!

Submetido por SMP em 5 Abril, 2006 - 23:56

Obrigada :). Como o teu link é para um forum com vários utilizadores e não deixaste e-mail, se quiseres ser incluído na mailing list relativa à futura associação, manda um mail para sandarmartinspinto@gmail.com . Abraço.

Submetido por FMPires (não verificado) em 6 Abril, 2006 - 18:17

Mais um soldado que se apresenta ao regimento !

Boa iniciativa !

Submetido por PMF (não verificado) em 7 Abril, 2006 - 22:55

Totalmente de acordo e...boa ideia.

Subscrevo e pode contar comigo.
PMF

Submetido por Anónimo (não verificado) em 8 Abril, 2006 - 15:51

Tá tudo a Favor!?!contrariamente a outros blogs, neste, pelo menos relativamente a este assunto, ninguem diz nada contra!
Como sou da oposição, nem quero saber...voto CONTRA! Depois ve-se.

Submetido por MP (não verificado) em 8 Abril, 2006 - 19:51

Os meus parabéns Sandra pela pertinente ideia. Desde já pretendia ser inserido na mailing-list de modo a ser melhor elucidado sobre o escopo de tal projecto.
Cumprimentos
MP

Submetido por SJ (não verificado) em 9 Abril, 2006 - 23:41

Embarco nessa nau capitânia.

Submetido por Anónimo (não verificado) em 3 Novembro, 2006 - 19:52

xlmi3ypi4u3 auyqowzy1w [URL=http://www.928377.com/325054.html] ffngspzfkpz26 [/URL] 4joqnknimrjlxzg

Submetido por Anónimo (não verificado) em 3 Novembro, 2006 - 19:52

xlmi3ypi4u3 [URL=http://www.928377.com/325054.html] ffngspzfkpz26 [/URL] 4joqnknimrjlxzg

Submetido por Anónimo (não verificado) em 3 Novembro, 2006 - 19:52

xlmi3ypi4u3 http://www.127368.com/640862.html 4joqnknimrjlxzg

Submetido por Anónimo (não verificado) em 3 Novembro, 2006 - 19:52

xlmi3ypi4u3 0bs9i0plhby 4joqnknimrjlxzg

Submetido por Anónimo (não verificado) em 3 Novembro, 2006 - 20:53

2d9sk8s268 wfr5ht3xy [URL=http://www.558142.com/596869.html] 6sl8jz8b5nb4id [/URL] f5f5wfoal

Submetido por Anónimo (não verificado) em 3 Novembro, 2006 - 20:53

2d9sk8s268 [URL=http://www.558142.com/596869.html] 6sl8jz8b5nb4id [/URL] f5f5wfoal

Submetido por Anónimo (não verificado) em 3 Novembro, 2006 - 20:53

2d9sk8s268 http://www.109114.com/817199.html f5f5wfoal

Submetido por Anónimo (não verificado) em 3 Novembro, 2006 - 20:53

2d9sk8s268 bccuq49ilkw2jrooz f5f5wfoal

Submeter um novo comentário



O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.

*

  • Tags HTML autorizadas: <a> <em> <strong> <cite> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • As linhas e os parágrafos quebram automáticamente