Engenharia social no desporto ou da verdadeira cara de tacho

Submetido por SMP em 15 Março, 2006 - 17:12

A 4 de Março passado, duas equipas de basquetebol universitário - uma da University of California Berkeley e outra da University of Southern California - defrontavam-se num jogo de vital importância para ambas. A malta de Berkeley saiu-se com um jogo de nervos do mais interessante e eficaz que se pode imaginar.
Durante toda a semana que antecedeu o jogo, uma suposta menina de nome Vitória conversara longamente no Instant Messenger da AOL com Gabe Pruitt, jogador da USC. A conversa (?!) correu tão bem que Pruitt planeava, juntamente com os colegas, encontrá-la e a um grupo de amigas para uma festinha privada, em Los Angeles, no regresso do jogo.
O problema é que a «Victoria» não existia. Ao entrar em campo, no Sábado, Pruitt começou a ouvir a claque opositora a chamar o nome da suposta beldade. Um dos adeptos de Berkeley levantou mesmo um cartaz com o número de telefone do jogador, que o havia fornecido via Messenger.
A cara de tacho do jogador é indescritível - melhor será vê-la aqui. Os urros de «Victoria, Victoria» duraram todo o encontro. A claque de Berkeley tivera acesso aos logs completos das conversas entre Pruitt e a menina virtual.
Aqui, o artigo do The Stanford Daily.
Via BoingBoing.
Sem grande surpresa, a performance de Pruitt não foi lá essas coisas e Berkeley ganhou...